outubro 20, 2006


Um preto tinha de ir a uma festa de fantasia.
Pede então à mulher, uns dias antes, para lhe comprar uma fantasia.
Ao chegar a casa, à noite, vai ao quarto e vê uma fantasia de Super-Homem em cima da cama.

Muito chateado, diz à mulher:- "Mas que merda dos fantasia é essa que tu arranjou? Tu já alguma vez viu Super-Homem preto? Tu vai trocar essa merda já."
No outro dia, foi feita a troca por uma outra fantasia, desta vez de Batman.
À noite, há novamente gritaria:-"F....., mulher, tu és burra!!! Tu já viu Batman preto??? Tu vai trocar essa merda outra vez."

Na noite seguinte, quando o marido chega a casa, vai ao quarto e encontra três grandes botões brancos, um cinto branco e um pedaço de madeira comprido.
O marido estranha e pergunta: - "Mas que merda dos fantasia é essa?"

A mulher responde:- "Tu tira os roupa, tu cola os botão nos frente do corpo e tu vai fantasiado de peça de dominó. Se tu não gosta, tu põe os cinto branco e vai vestido de bolacha Oreo! Se tu ainda não gosta,tu pega nos pau, tu enfia ospau no cu,e tu vai mascarado de Magnum!!!"

18 comentários:

marta disse...

eu da primeira vez que li achei giro...mas depois tive de ler o outro em baixo e já não achei tanta piada...

Anónimo disse...

Esta piada ainda escapa, agora a de baixo é tão fraquita que nem me vou dar ao trabalho de comentar...

SofiaS disse...

Daaahhh... é a mesma!!! Copy paste!!!...não percebo..eu não percebo esta gente...meu deus...

Anónimo disse...

Sofiiiiiiaaaaa, onde estás? Anda aqui ao rafeiro, anda! Tenho uma prendinha para tiiiii... APARECE, SUA MEDRICAS!!!

Vanda Sousa disse...

E eu que pensava que o mau gosto das piadas de pretos em Portugal estava em vias de extinção ...

ALEXANDRA disse...

Olá!
Venho convidar-te a passar no meu site de bijutaria: http://koisasdaxana.no.sapo.pt
Espero que gostes do meu novo cantinho. Divulga-o aos teus amigos!

Beijinho alexandra!

SofiaS disse...

Vanda Sousa...se não gosta...não lê!!! Ah, e já agora...também existem Magnuns brancos...

Anónimo disse...

Quando falamos todos os dias em igualdade de direitos e depois se escrevem, contam ou dizem piadas sobre negros, onde é que fica a igualdade no meio disto tudo?! Pior andamos todos os dias a ensinar aos nossos filhos, quem por acaso tem na escola um colega negro, que ele é igual a nós, tem cabelo, mãos, CORAÇÃO, tal com nós, só tem uma cor diferente, então estamos a ser o que?! Quando depois dizemos piadas sobre negros?! Lembro-me de a umas semanas na minha aula, uma das minhas pequenas alunas perguntar o que é o racismo, ao responder-lhe com a linguagem própria para uma criança de 6 anos ela respondeu, "Ahh mas eu não quero ser isso, porque eu não gozo com os meninos ciganos que estão na minha sala" então pais e mães onde é que andam a falhar?!

Anónimo disse...

quando falamos em liberdade de expressão, o que dizer aos nossos filhos quando nos perguntam "ho mae, quem é aquela menina que não se identifica?" e respondemos "alguém que tem muita garganta mas só quando està escondida... toma lá...de outra anonima a ver se gostas

Anónimo disse...

Uma pessoa como tu não é digna de ter filhos, por isso não tens de lhes explicar… principalmente o porquê de a própria mãe criticar uma atitude e repeti-la logo em seguida e principalmente quando a mãe acha engraçadas atitudes racistas.
Obviamente que não assinei porque não tenho nenhum registo em blog nenhum, alem de que, não adiantaria de nada, até porque não sabes quem eu sou, mas eu assino que não seja por isso, não tenho a mínima vergonha de assumir que não sou de forma alguma racista, alem de que a minha profissão é ensinar aos meninos a não serem racistas…
Ainda acho mais lamentável uma pessoa que tem uma loja de artesanato aberta ao público, faça comentários e demonstre atitudes racistas destas, já agora quando um negro entra na sua loja manda-o embora?!

Ana Silva

Já agora só para acabar, passo bastante vezes por blogs e lojas de artesanato, mas por este blog e loja nunca mais pretendo passar… suponho que com atitudes dessas não vá ser a única.

SofiaS disse...

Ana Silva!!!
Faça-me o favor!!!! Alguém que não percebe uma piada...não é benvinda no meu blog de certeza...falta de humor para mim é pior que falta de educação!!!
E suponho que acredita que os alentejanos do nosso país estão traumatizados com as anedotas que contamos sobre eles, Não!!???
Mais... mais racistas que os negros não existe...
E por último, não sou racista nem ensino isso aos meus filhos...mas VOCÊ ( sim que eu não andei consigo na escola para me tratar por tu) não tem obviamente NADA a ver com isso!!!!
Passar bem...e até nunca!!!

avodecascais disse...

Ana Silva
Isso e' mesmo nome ou e' para se esconder outra vez?
Gente sonsa e' o que mais existe... So' espero nao ter nenhuma "Ana Silva" a ensinar os meus netos pois o humor e' so' para inteligentes e de gente burra estamos fartos nosso pais.

Anónimo disse...

Tenho pena de mentalidades como as vossas, não tenho nada a ver com a conversa mas, sim racismo é coisa feia. Tal como a Ana Silva passava aqui várias vezes, passava. Fazem falta pessoas não racistas neste país.

mariana simões disse...

Eu acho a anedota girissima, e não concordo que tenha racismo, o preto é que não queria fantasia de branco. Sofia, vou continuar a cá vir porque gosto não só do blog mas tb da anedota. Força

ricardo s carvalho disse...

para quem não percebe nada de humor, o "gato fedorento" já há muitos anos explicou o que é "fazer piadas" (em relação também a fazer piadas sobre deficientes). passo a citar (talvez alguém aprenda alguma coisa e se liberte das suas amarras):

"SOBRE O POST ANTERIOR: Recebi dois mails de leitores indignados com o facto de eu ter feito uma piada que envolvia a deficiência física de Stephen Hawking. Confesso que, antes de escrever o post, hesitei. Sejamos francos: à partida, todos nós temos tendência para ficar chocados quando alguém faz humor sobre deficiências profundas. Mas o que está por detrás dessa atitude protectora? É simples: a ideia de que os deficientes são uns coitadinhos. Poupá-los à pilhéria, eis a expressão suprema da piedadezinha. Ora, apesar de não podermos negar que eles de facto carregam um fardo muito pesado, uma das maiores dificuldades que os deficientes enfrentam é precisamente conseguir libertar-se desse modo que a sociedade tem de olhar para eles. Essa protecção que lhes reservamos é, ao mesmo tempo, uma perversa forma de os inferiorizar.
Quem, como eu, cresceu a ver dramalhões televisivos dos anos 80, sabe que há duas coisas que os deficientes abominam: que alguém os tente ajudar, quando eles não precisam (atenção, isto não é uma indirecta para os autores dos mails indignados); e que se tenha pena deles. Ninguém consegue suportar uma existência baseada na comiseração alheia. A pena não edifica. Pelo contrário, abafa, estiola, gera acomodação e desistência.
Ao invés, o humor pode desempenhar um papel bem mais positivo, graças ao efeito de desdramatização. O humor retira peso a situações quase insustentáveis (enunciado que é exemplarmente ilustrado em A Vida É Bela de Roberto Benigni), ajuda-nos a lidar com as nossas dificuldades e limitações.

[...]

Por exemplo, - e abordando agora a questão da raça - não me recordo de nada mais racista do que aquilo que algumas séries e filmes americanos fazem, quando criam uma personagem negra que é simpática para além do humanamente possível. A simpatia dessas personagens é tão transbordante que, nos filmes de acção ou de ficção científica, elas são sempre as primeiras a levar com uma bala ou um raio laser. A mensagem subliminar é: “Vêem como os negros, afinal, são uns tipos porreiros? Não precisam de ter medo deles. Eles são completamente inofensivos.” Por isso é que a solução encontrada pela sitcom All in the Family é soberba: Mr. Jefferson é a personagem negra mais antipática e arrogante que jamais surgiu no pequeno écran; Lionel parodia justamente a figura do negro simpatiquíssimo e submisso.

[...]

Em jeito de despedida, deixo-vos com um dilema que me acompanha há vários anos: um deficiente com motorista deve ter direito a estacionar nos lugares reservados a deficientes? Analisemos os dois lados da questão. Por um lado, a viatura é, em rigor, pertença de um deficiente. Por outro lado, se ele tem um motorista, então este pode muito bem deixá-lo à porta dos locais e de seguida ir à procura de um lugar normal. Reflictam nisto. Ou então mandem-me mails de indignação. O mais imaginativo ganha um fim-de-semana na Madeira para duas pessoas, em regime de meia-pensão. MG"

marta disse...

Se o deficiente em questão tem motorista, não é digno de lugar especial...se o motorista for deficiente e o passageiro não, aí já pode...


Onde é que vou buscar o prémio?

Posso trocar o destino?

Maria disse...

Nenhum de nós tem problemas com a palavra branco....porque é que temos com a palavra preto? tenho um amigo (preto) que diz "eu ficava lixado é se me chamassem branco... eu sou preto tu és branca, qual é a confusão?"

Racista é quem não aceita a diferença...somos diferentes e depois?

TomaLaFresquinho disse...

cada um julga os outros pela sua cabeça !!

ainda por cima comentários encapotados sob o anonimato ..........

se estupidez pagasse imposto essas senhoras (ou talvez não) estavam falidas ............